• Artigos

A CURA DA ALMA

Por Adosinda Borges

Quando vimos a este mundo, já trazemos escrito na nossa alma as pessoas e circunstâncias que vamos encontrar na nossa vida.


Há carmas que temos de sanar e, por isso, são estabelecidos acordos pré-natais com outras almas, com as quais estivemos envolvidos noutras vidas e com as quais temos situações por resolver. Carma é isto mesmo: uma situação por resolver.


Carma, como muitas pessoas pensam, não é um castigo, é uma escolha que a própria alma faz para se redimir de determinada situação em que não agiu com Amor perante outra ou outras almas. Neste sentido, a nossa alma, antes de reencarnar, escolhe para si um guião que vai pôr em prática, uma vez reencarnada. Esse guião pode ou não ser seguido, dependendo do livre-arbítrio, um "presente" que Deus nos deu: a capacidade de escolher entre o Bem e o Mal. Esta dualidade está representada em nós pela nossa essência, a Luz Divina e pelo Ego, respetivamente.


Quando um bebé nasce, ainda traz em si uma luz, uma inocência que comove até os mais insensíveis. Nós já fomos este bebé... À medida que nos fomos desenvolvendo, fomos aprendendo como funciona o mundo à nossa volta e trazemos connosco uma personalidade que tem tudo a ver com os aspetos mais negativos com que já lidámos ou com que ainda vamos ter de lidar mais à frente na nossa vida. Vamos atrair pessoas e situações que nos vão permitir experienciar esses aspetos da nossa personalidade.


Por vezes, ou na maior parte das vezes, essas pessoas ou circunstâncias vão-nos trazer muito sofrimento. Como exemplo, uma pessoa que, desde criança, não gostava de si mesma, se achava inferior aos outros e, por isso, tentava agradar para ser aceite, vai sempre atrair pessoas que a vão agredir, submeter e controlar. Em última análise, vão validar o que a pessoa sempre sentiu e pensou de si mesma: que não tem valor e, portanto, os outros estão sempre em primeiro lugar. Este tipo de situação vai repetir-se até que a pessoa se aperceba que há um padrão (um comportamento repetitivo) na sua vida e começa a questionar-se sobre os motivos pelos quais parece não conseguir ser feliz e está constantemente a viver o mesmo tipo de situação.


Reconhecer que existe um padrão é o primeiro passo para a mudança, mas até que haja este reconhecimento, normalmente passa muito tempo e muitas situações dolorosas se repetem. É esta grande carga de sofrimento, que leva, por vezes, a pessoa ao seu limite, que conduz a uma verdadeira mudança. Pode dizer-se que ela é forçada a mudar se não quer sofrer mais.


Quando a mudança se começa a dar, começamos, nós próprios, a não nos reconhecermos e os outros começam também a aperceber-se da nossa mudança.


Se forem pessoas que sempre estiveram do nosso lado a apoiar-nos, vão felicitar-nos e alegrarem-se por nós. Se, pelo contrário, forem pessoas que nos vitimizaram, não vão ficar agradadas com a mudança, vão sentir-se intimidadas, pois percebem que não vão mais exercer o seu poder sobre nós e, ou vão afastar-se, ou vão mudar a sua atitude connosco e tratar-nos de igual para igual.


Esta mudança em nós traz consigo uma grande lucidez; começamos a olhar para a nossa história de vida, não como uma vida "perdida" e sem sentido, mas como um caminho necessário para nos conduzir àquilo que somos hoje ou que ainda queremos vir a ser.


Aquelas pessoas que mais nos magoaram não foram mais do que nossos professores, ensinaram-nos aquilo que nós não queremos ser, como não devemos agir, de forma a que pudéssemos descobrir quem realmente somos e o nosso verdadeiro valor.


Como disse Shakespeare1, "o mundo é um palco e cada um de nós está a representar o seu papel". Se entendermos esta ideia, que cada um de nós é uma alma que aceitou representar uma determinada personagem para que a outra alma se pudesse experienciar como realmente é, no sentido da sua evolução, até o perdão se torna desnecessário...


Com este entendimento vem a cura, a transformação e, em última análise, a missão de cada uma das almas envolvidas está cumprida.


1 Poeta e dramaturgo inglês (séc. XVI e XVII)



Adosinda Borges

Terapeuta Espiritual

sindaborges@yahoo.com

  • YouTube