• Artigos

AMAR A SIMPLICIDADE

Por Joana Vasconcelos

Gosto de pessoas simples. Gosto de conversas simples. Gosto de coisas simples. Tudo o que é complicado demais acaba apenas por atrapalhar. Assim é nas pequenas coisas, assim é na vida.


Este meu gosto pela simplicidade não é de agora, mas foi algo que fui apreendendo ao longo do meu percurso. Quando comecei a perceber que complicamos demais o que é simples, percebi que criamos problemas totalmente desnecessários para a nossa vida.


Se as coisas são simples, para quê complicar?


O nosso Eu Interior dá-nos todas as indicações que precisamos, mas, por vezes, deixamos que a nossa mente poluída por pensamentos exteriores, julgamentos, críticas ou preconceitos nos moldem e nos impeçam de fazer o que queremos. Não era mais simples seguirmos apenas o nosso coração e a nossa intuição?


Uma vez, alguém me disse que para mim “tudo era simples”. De facto, apesar de na altura não ter compreendido, essa é a verdade. A partir de determinado momento, tudo para mim passou a ser bastante simples. Ou é ou não é. Ou gosto ou não gosto. Ou faço ou não faço. As dúvidas, as confusões, os dilemas e todo aquele tempo que passava a ponderar os “ses” de cada situação, tornaram-se cada vez menos recorrentes.


E isso não só me trouxe uma maior paz de espírito como uma maior perceção do tempo e dos momentos que perdi enquanto me debatia com as mais variadas dúvidas. Tudo porque me foram incutidos pensamentos que me faziam duvidar de mim própria, do que queria para mim e para a minha vida. Tudo porque duvidava de mim própria.


E acho que esse é o cerne da questão. Para que a vida se torne mais simples é preciso apenas uma coisa: conhecermo-nos profundamente. Conhecer o nosso Eu Interior. As dúvidas aparecem unicamente porque não nos conhecemos, porque não sabemos o que queremos, o que somos, para onde vamos. A partir do momento em que fazemos essa introspeção, em que nos conhecemos verdadeiramente, tudo passa a ser simples. Basta seguir o que a nossa intuição, coração, Eu Interior, o que quiserem chamar, nos disser.


Khalil Gibran disse que “A simplicidade é o último degrau da sabedoria”. Não sei se serei assim tão sábia, mas sei que sou mais feliz.



Joana Vasconcelos

Mestre de Reiki, Cristaloterapia, Radiestesia

http://apequenareikiana.blogs.sapo.pt/

https://www.facebook.com/apequenareikiana/

  • YouTube