• Artigos

COMEÇAR A MEDITAR, CONSEGUINDO!

Por Andreia Rego


A meditação traz inúmeros benefícios psíquicos, físicos e espirituais. No entanto, para alcançar esses benefícios é necessário ultrapassar a barreira do hábito, referindo-me àquele muro que se impõe constantemente entre a nossa força de vontade e o, realmente, conseguirmos o que queremos.


Muitos de nós iniciamo-nos e na prática meditativa com o objetivo de sentir todos os benefícios maravilhosos da meditação, na primeira sessão que faz. E, muitos de nós, ficamos desiludidos quando nos apercebemos que na primeira vez não se sente nada.

A meditação, como qualquer atividade que iniciemos nas nossas vidas, deve ser começada por coisas simples, e durante pouco tempo.

Eu tenho algumas dicas para si, que lê este artigo, de como começar a sua prática meditativa sem sentir necessidade de desistir porque “não conseguiu não pensar em nada”.

E se eu lhe disser que a meditação não consiste, de todo, em “não pensar em nada”? Vamos começar, então, por duas pequenas atividades que o farão olhar a meditação de outra forma, pois o truque é fazer pouco para ter sempre vontade de fazer mais.

Respire! Mas de uma forma consciente, pensando naquilo que está a fazer. O oxigénio, o que nos permite sermos matéria viva, merece ser disfrutado quando entra nos nossos pulmões e percorre todas as células do nosso corpo, assim como merece gratidão quando sai dos nossos pulmões para o exterior trazendo tudo o que não nos faz falta no organismo.

Faça várias respirações profundas, devagar e a apreciar os movimentos do seu abdómen quando inspira e quando expira. Pense somente nisso e, com esta respiração consciente, já reparou que o seu cérebro não esteve a “não pensar em nada”, pelo contrário esteve a “pensar na nutrição do seu organismo”.

Mova-se! E, mais uma vez, conscientemente. Comece por colocar-se num espaço confortável para si, pode ser qualquer lugar ao ar livre. E, na posição em pé, respire profundamente as vezes que achar serem necessárias para se sentir satisfeito com todo o oxigénio que ingeriu.

Quando se sentir preparado, feche os olhos e comece por fazer pequenos movimentos de balanço com o corpo para um lado e para o outro, sempre com os músculos o mais relaxados possível.

Deixe, simplesmente, fluir!

Deixe que seja a sua respiração a comandar o movimento do seu corpo, na inspiração leve, por exemplo, o braço esquerdo em forma de onda para o lado esquerdo e na expiração traga-o de encontro ao corpo para levar o braço direito, em forma de onda, para o lado direito.

E assim, seguindo a sua intuição e fazendo os movimentos que o seu corpo lhe pedir, notou, mais uma vez, que esteve todo esse tempo focado e a sentir os movimentos que esteve a fazer, em vez de estar preocupado em “não pensar em nada”.

Isso é meditar, é focar a mente numa coisa só, é termos concentração suficiente para pensarmos no que queremos, para não deixar que seja a nossa mente a escolher no que pensar, é termo paciência para dar um passo de cada vez e sentirmos pequenas diferenças em nós, desejando sempre mais, mas com calma.



Andreia Rego

Terapeuta hoíística no Espaço Sol & Lua

Contacto: 917801712

E-mail: andreia.rego.reiki@gmail.com

Facebook: https://www.facebook.com/SoleLuaAndrei

Site: https://andreiaregoreiki.wixsite.com/sol-e-lua

  • YouTube