• Artigos

COMO TER A CORAGEM PARA DAR O "SALTO"?

Por Cláudia Rocha

Diferentes lugares, diferentes pessoas - mas as mesmas circunstâncias... como sair da toca do coelho?


Formámos hábitos de pensamento que deram origem à vida que temos, e a maior parte das pessoas deste planeta ainda não tem (nem quer ter) consciência disso.

Podemos cair na armadilha do piloto automático facilmente: com a rotina, com o ambiente sempre igual e as pessoas que nos induzem a uma certa forma de comportamento. Parece que temos de nos adaptar e isso requer uma observação do presente.


O que podemos percecionar com os nossos sentidos físicos está ali, sem dúvida, mas existe por uma razão - criámo-lo, tudo isso. Todas as situações, pessoas, conversas e paisagens. Criámos tudo o que conseguimos ver e tocar.


Podemos tê-lo feito consciente ou inconscientemente, mas em qualquer dos casos, o combustível é a atenção, o foco. É a energia que dirigimos a algo que o amplia, que o engrandece, que o alimenta.


Houve uma época em que sonhei muito com louva-a-deus. Até hoje, nunca soube a razão para este acontecimento. Mas tive bastantes sonhos, e o mais estranho é que nunca tinha visto um na vida real.


Moro numa zona rural e é normal eles andarem por aí no meio das plantas, mas mesmo assim nunca tinha visto um.


No último sonho que tive, apareceu um, bem grande, mesmo à minha porta. Acordei perplexa, porque parecia uma espécie de mensagem do Universo. Talvez fosse, talvez não. Mas o facto é que me marcou bastante.


Pouco tempo depois, abri a porta de casa e vi um bicho enorme. Como tenho muito medo de insetos, fechei logo a porta. Mas depois espreitei e lá estava - um louva-a-deus, enorme, parado à espera que eu o reconhecesse.


Ele apareceu porque eu dei atenção aos meus sonhos, falei sobre eles, pensei bastante sobre o significado. E tornei-os realidade, de uma forma engraçada e que me mostrou, mais uma vez, o poder do meu foco.


Há uma sincronia divina, uma orquestração maior que nós, e esta está presente em todas as circunstâncias da nossa vida.


Sermos conscientes da criação da nossa realidade mostra-nos a maneira engraçada como o Universo trabalha, e dá-nos uma força maior para continuar.


Esta força é a paixão - de viver, de ser, de simplesmente existir. Quando esta paixão é alimentada, acende-se um fogo dentro de nós que nos motivará a nunca mais olhar para trás. Nunca mais seremos os mesmos.


Descobrimos que não somos fantoches nas mãos de um destino incontrolável, mas que podemos ser mestres e temos nas nossas mãos o poder da criação - e que não temos de controlar nada a não ser o que deixamos fluir.


Que parte da criação é que queres deixar fluir? Há possibilidades infinitas, caminhos já traçados e planeados, ideias a flutuar no éter - apenas à espera de serem tomadas e vividas por alguém. 


E as fontes são ilimitadas: nunca se esgotam porque tudo é energia, e podemos acedê-la ou privar-nos dela, mas isso não a limita de forma nenhuma!


Apenas tens que fazer essa escolha. E não é nada complicado: sim ou não. Permitir ou bloquear.

E lembra-te que nem toda a gente tem a oportunidade de fazer essa escolha conscientemente.


É tudo questão de olhares bem para ti mesmo, para a vida que criaste, e saber se desejas mais abundância, mais oportunidades, mais experiências novas e gratificantes.


Vives num mundo diverso, com oportunidades e alternativas variadas, e em quase todas as situações basta escolher - escolhes a roupa que vestes, os alimentos que consomes, as pessoas com quem convives, os sites que visitas.


Mas a única escolha que tens de fazer mesmo é se desejas começar a permitir a vida que amas ou não!


Porque todas essas pequenas decisões que fazes são apenas uma distração daquilo que realmente importa. Porque o Universo trata dos detalhes e sincroniza-os com a tua decisão.


Há variados temas que posso exemplificar que derivam dessa escolha consciente de fluir ou resistir. Um deles é a abundância. No próximo post abordarei especificamente a abundância e como o nosso estado financeiro depende totalmente dessa decisão.

Rendermo-nos à energia da criação e deixá-la trabalhar por nós - em vez de cairmos na armadilha de nos esforçarmos para um objetivo a curto prazo e que não nos traz realmente a Felicidade - requer coragem e muito, muito foco. 


Eu própria tenho experiências e aprendizagens novas a cada dia sobre como me manter focada em vez de simplesmente absorver o que observo à minha volta.


Como sempre, relato com toda a sinceridade estas experiências e partilho neste blog o que refleti sobre cada assunto.


Qualquer dúvida que tenham fiquem à vontade para deixar nos comentários, ou enviar um e-mail para vibehigh@hotmail.com

Espero que tenham gostado do post.



Com amor,



Cláudia Rocha

http://www.vibe–high.com/

Autora do blog Vibe High: reflexões, dicas e processos para utilizar a Lei da Atração com sucesso na sua vida.

  • YouTube