• Artigos

DEIXE DE LADO AS APARÊNCIAS E VIVA LIVRE

Por Diana Pereira

Na maior parte do tempo em que estamos encarnados na Terra, vivemos acorrentados ao que “temos de ser”, ao que querem de nós, ao que nos é imposto, ao que achamos ser o normal.


Queremos ser aceites pelos outros, parecer felizes sem realmente o sermos, construir uma imagem nossa que não equivale ao que realmente se passa dentro de nós, e não mostrar aos outros todas as nossas fragilidades para que não pensem que somos inferiores ou para que não usem as nossas fragilidades contra nós.


O mundo parece-nos constantemente um local perigoso, do qual devemos ter medo, do qual nos devemos precaver e onde nos devemos misturar sem marcar a diferença. Perdemos contacto com o que somos realmente e, com isso, deixamo-nos aprisionar pelo mundo, ao invés de vivermos livres tudo aquilo que esta vida nos permite viver.


O caminho para ser feliz é exactamente o oposto.


É essencial que tomemos novamente contacto com o que realmente somos no nosso íntimo. Saibamos o que queremos fazer, as nossas características mais vincadas, por mais feias que elas nos possam parecer, o que nos deixa realizados e verdadeiramente felizes.


É necessário descomplicar constantemente a vida, porque a vida não é complicada. A maior parte dos obstáculos que a vida nos põe à frente são para nos mostrar que a maior parte somos nós que pomos a nós mesmos e que estes não fazem qualquer sentido. Só a “descomplicação” abre caminho à simplicidade da vida, e é na simplicidade que a felicidade surge.


Depois de retirarmos todas as camadas superficiais, e estarmos certos e seguros do que somos e do que queremos, é o momento de começar a agir de acordo com a nossa essência, nem que começando a pouco e pouco a sair da concha, permitindo-nos agir sem pensar, sem nos preocuparmos com as opiniões alheias.


Para isso, poderá ser benéfico rodear-se de pessoas que pensem e vivam do mesmo modo. De pessoas felizes, descomplicadas, que o aceitem como é, sem pressões ou julgamentos. Estas não o farão sentir-se pressionado a fingir ser o que não é, e ainda o motivarão a mostrar-se ao mundo como realmente é. Pode começar por grupos de actividades das coisas que mais gosta e mais se sente realizado a fazer. Muito provavelmente encontrará outras pessoas na mesma busca pela sua própria essência e liberdade.


Se ainda assim continuar preocupado com as opiniões alheias, não sinta que está errado e todo o mundo está certo só porque são mais os que agem de modo diferente ao seu. Muitas vezes, os outros julgam-nos por quererem fazer o mesmo mas não terem a coragem necessária para darem o salto.


Não desista de ser quem é só porque os outros não aceitam que seja capaz quando eles não o são. Mostre aos outros que é possível ser diferente, que é bom ser livre. Lentamente perceberão que não há problema nisso e com o tempo conseguirá mudar o modo como pensam.


Muitos não só o irão aceitar como é, como irão fazer o caminho a seu lado e se inspirarão em si para se libertarem também.


O meu conselho é que seja como as crianças: que não tenha medo de sentir, de se expressar, de viver. Chore se lhe apetecer, ria se lhe apetecer, grite se lhe apetecer, dance se lhe apetecer. Viva tudo completamente, sem medos, sem julgamentos. Faça ouvir a sua verdade.


Muito Amor,


Diana Pereira

Mestre de Reiki, Taróloga, Cristaloterapeuta

+351 96 581 58 58 / moonlight073@outlook.pt

www.moonlight-terapias.blogspot.com



*A autora não aderiu ao Novo Acordo Ortográfico

  • YouTube