• Artigos

O PODER DAS NOSSAS PALAVRAS

Por Ana Guerra

A etimologia é a parte da gramática que estuda a origem e a formação das palavras. Têm vida própria, isto é, têm uma origem, desenvolvem-se e podem até desaparecer como um determinado idioma. As palavras são instrumentos de comunicação. O ser humano usa-as nos seus pensamentos. Através das palavras conseguimos expressar a nossa imaginação, criatividade, ter relações enriquecedoras, dar a conhecer ideias novas.


Estamos tão habituados a usar estas ferramentas na nossa mente, que nos esquecemos das suas características, do seu poder e de como as usar em nosso benefício. Expressam as nossas atitudes (mente), as nossas emoções, crenças e transformam os nossos pensamentos.


A reprogramação mental explica exactamente este processo. O estudo neuro-linguístico traz-nos ferramentas e estratégias que demonstram serem eficazes nos processos cognitivos e, por conseguinte, num melhor desempenho das nossas capacidades.


A psicologia há muito que aplica esses princípios na sua terapia. O estudo do comportamento humano aliado à Antropologia e à Etologia tem-se revelado satisfatório nas suas descobertas. Isso tem contribuído para a melhor compreensão do que é o ser humano: como ele funciona e gere, principalmente, as suas emoções (é nessa área que ele se distingue e é um aprendiz).


Partindo destes pressupostos, podemos transformar a nossa qualidade de vida, vivendo com maior equilíbrio e somos encaminhados para novos paradigmas mais construtivos.


Somos feitos de energia e as palavras não poderiam deixar de ter uma frequência (vibração) aquando do seu constante uso. O ser humano dificilmente pensa sem as usar.


Essa vibração pode ser impregnada de confiança, equilíbrio, harmonia e o resultado é a concretização das tuas realidades, objectivos. A Física Quântica ajuda-nos a compreender os fenómenos e, com isso, quando nos focamos as nossas intenções são mais eficientes.


Como é que podemos trabalhar o nosso crescimento através do auto-conhecimento? A partir do momento em que nos conhecemos, aceitamo-nos (isto é, largamos a crença que temos de ser como os outros esperam, a culpa) e focamo-nos em nós: no nosso talento, capacidades, temos consciência de que ainda somos limitados (aprendizes), o nosso caminho torna-se mais simples e fluído.


As palavras fazem parte deste sistema. Ao estar consciente do seu poder temos a possibilidade de chegar às metas que escolhemos construir. É claro que ao repetir: - não vou passar no exame; - o meu bolo vai ficar cru, etc., isso acontece por ser a minha convicção. Todos nós temos experiência em situações destas. Podemos mudar isto.


Ao contrário, reconhecemos que as afirmações ditas com entrega, confiança, fortalecem a nossa energia, amor-próprio e os resultados são evidentes. A forma como escolho as palavras que uso para me expressar, irá revelar quem sou ao outro. Também definirá o tipo de relação que tenho e desejo com os da minha espécie. A imaginação, a criatividade que emprego em tudo o que faço e digo, tem o rosto das palavras que conseguem definir-me. Todo este conjunto de acções convergem na minha transformação a partir do momento em que a considero como foco.


Vamos usar as palavras como meio para atingirmos o que desejamos?


Identificando os hábitos mentais que descobrimos que não nos ajudam; a forma como pensamos revela o comportamento connosco e com o outro. Tudo o que damos a nós, damos ao outro, uma vez que não temos como dar o que não temos, não somos.


Quando compreendemos isto, a consciência dos nossos actos (internos e externos) está presente e deixa de se encontrar somente no sub-consciente e inconsciente.

A principal função do Ego é buscar uma harmonização, inicialmente entre os desejos do Id e a realidade do Superego.


Se aceitarmos estes conceitos, conseguimos compreender um pouco melhor como a nossa mente funciona. O Ego funciona como uma ponte e somos Nós!


Se entendermos isto, passamos a ter consciência de que somos os nossos Comandantes e, por conseguinte, somos os responsáveis de sermos como somos. A responsabilidade de nos tornarmos melhores ajuda-nos a sermos mais disciplinados, organizados, melhorando o desempenho em tudo o que nos propomos viver.


Então, podemos escolher as palavras que usamos, a sua frequência e que utilidade damos a elas mesmas. Se disser: ‘eu não sou capaz’, em vez de dizer: ‘Eu sei que todas as minhas acções, mesmos as que revelam menos sucesso, são aprendizagens’; tenho a certeza que deixo de ter ansiedade de falhar, sentir culpa e passo a focar-me nas minhas capacidades e a encontrar soluções de forma mais fluída. Portanto, a forma como uso as palavras podem mudar a forma como acordo, como vejo o meu dia, como estou perante o outro, como estou defronte das adversidades, etc.


Alegria, Optimismo, Força são algumas das cores do teu novo horizonte.


Sob a perspectiva, a atitude de me observar como um ser em crescimento, sei que vivo um dia de cada vez, respeitando o meu ritmo, construo os tijolos necessários para edificar o meu castelo, emprego as palavras com a mesma entrega. A diversidade e riqueza desta atitude trazem Alegria e Força para caminhar de rosto erguido.


Vamos fazer melhor uso das Nossas Palavras?



Ana Guerra

Terapeuta Holística - Magnified Healing

Email: sonhodumavida@gmail.com

Facebook: Sonho de Uma Vida

sonhodumavida.blogspot.pt



*A autora não aderiu ao Novo Acordo Ortográfico

  • YouTube