• Artigos

SINTA A ENERGIA DO SEU HALL DE ENTRADA

Por Margarida Estevam

O hall de entrada é o primeiro espaço que marca a fronteira entre o interior e o exterior da casa e, por isso mesmo, é um ponto de transição e de adequação ao espaço sagrado que é a sua casa.


Muitas casas não dispõem desta divisão, tendo a entrada da casa diretamente para uma divisão como a sala, por exemplo, mas tudo é solucionável e pode criar esse espaço, que prepara a difusão da energia pela casa.


Na verdade, esta divisão irá criar uma antecâmara para que a energia que entra na sua casa tenha a oportunidade de se acumular antes de se espalhar e energizar as restantes divisões da habitação, o que se designa por Ming Tang.


Ming Tang é uma definição de Feng Shui que se aplica quer a um espaço exterior à casa, quer a um espaço interior, que cria um ambiente propício para a acumulação de chi (energia) para que depois este circule pela casa e energize os restantes espaços.


Na China Imperial, Ming Tang representava uma sala de cerimónia no Palácio Imperial, onde o Imperador e os seus conselheiros se reuniam, sendo, por isso, considerado que a energia naquele espaço era mais poderosa e que ajudaria a tomar boas decisões. A sala teria um telhado redondo, que representaria a energia do Céu, e estrutura quadrada, que representaria a energia da Terra, estando a energia do espaço perfeitamente alinhada com estas duas grandes forças energéticas.


Pela sua origem compreendemos a importância que é dada ao Ming Tang no Feng Shui. Realmente, podemos ter a presença deste espaço no exterior da casa onde habitamos (por exemplo, com uma pequena praceta ou jardim onde escoa a energia e a estrada de acesso), o que será benéfico para a alimentação da habitação em termos energéticos.


É importante salientar que a energia entra pela porta da habitação (seja moradia, vivenda ou apartamento, sendo que neste último caso a porta que separa o interior do exterior é a do prédio) e é por isso que é designada por boca do chi, pois é pela boca que recebemos os nutrientes que nos alimentam, tal como o espaço recebe a energia.


Convém que a alimentação, ou seja, a energia que nutre a casa seja de qualidade. Daí a importância de, no exterior, não existirem espaços degradados e descuidados.


Mas quando falamos do interior da casa e da primeira divisão que encontramos quando fechamos a porta de entrada, o que é fundamental é que a energia tenha espaço para se acumular antes de energizar o resto da casa. Nesse caso, o hall de entrada deve ser um espaço organizado e sem desarrumações, ligeiramente amplo para que a energia possa ter a possibilidade de acalmar, acumular-se e depois energizar a casa. O fluxo energético da nossa casa pretende-se que seja calmo, tranquilo, harmonioso e positivo…


O hall de entrada é o cartão de visita da nossa casa, estabelece o “tom” para aquilo que é a qualidade energética no resto da casa. Se não tiver uma divisão específica como hall de entrada, pode criar um pequeno espaço com recurso a biombos ou mobiliário de forma a definir uma antecâmara que funcionará como Ming Tang.



O que deve ter num hall de entrada (que já existe ou criado por si):

  • Luz – se o ambiente quando se entra em casa estiver na penumbra ou mal iluminado dará uma sensação de insegurança. Se não tiver luz natural que ilumine direta ou indiretamente (luz que vem de uma divisão adjacente) o espaço, coloque iluminação artificial suficiente para que o espaço esteja iluminado, que crie algum ambiente de recolhimento, mas sem ser demasiado ostensivo.

  • Móvel de apoio – pode ser um aparador com arrumação; uma sapateira para colocar os sapatos quando entra e calçar chinelos ou pantufas (os Orientais têm o excelente hábito de não andar em casa com o calçado da rua, o que evita a sujidade da rua de circular pela casa); pode ter sobre ele decoração que goste e que tenha simbologia para si e/ou um despeja-bolsos para deixar as chaves de casa, moedas, etc.

  • Cabide – de colocar na parede ou de pé alto, é importante ter um local onde colocar os casacos e as malas quando chega a casa.

  • Espelhos – atenção ao local onde irá colocar o espelho. Os espelhos refletem a energia e repelem-na e, por isso, não devem estar mesmo em frente à porta de entrada, pois a energia que entra sai imediatamente. É bom para repelir energia negativa, mas a energia positiva que entra irá pelo mesmo caminho, por isso, o mais aconselhável é não ter espelho em frente à porta de entrada. Mas se sentir que deve ter um espelho no hall de entrada, que seja colocado de modo a estar numa posição em que permita que a energia entre dentro de casa, por exemplo de lado em relação à porta.

  • Tapete ou carpete – um tapete ou carpete pode desacelerar o chi (energia) que entra na sua casa. É especialmente indicado para quem tem escadas em frente à porta (colocar o tapete na base da escada) ou corredores muito longos e estreitos (pode ter uma carpete ou tapetes ao longo do corredor), pois vai acalmar o fluxo energético e permitir que o mesmo circule e energize o resto da casa sem se precipitar rapidamente.

  • Plantas – pode colocar plantas que funcionam como purificadoras de ambiente e/ou proteção energética. Para purificar o ar e exercer a função de ionização negativa (que é positiva para o ser humano) pode colocar por exemplo Lírios da Paz, Fetos e Espada de São Jorge (também para proteção energética) ou para proteção energética Difenbáquia (conhecida como “Comigo-ninguém-pode”, no Brasil), Arruda, Alecrim ou Vasos de 7 Ervas (Espada de São Jorge, Arruda, Guiné, Difenbáquia, Pimenteira, Alecrim, Manjericão ou outras que sinta desde que sejam no total 7 ervas de proteção). Tenha em atenção a escolha das plantas pois algumas são tóxicas e deve evitá-las se tiver animais de estimação ou crianças pequenas que possam entrar em contato com elas.

  • Cristais – Pode colocar um aquário de cristais com uma intenção específica (proteção ou saúde, por exemplo) ou alguns cristais sobre algum móvel no hall de entrada. O importante é criar uma relação com os cristais, colocá-los com intenção após terem sido limpos, energizados e programados e usufruir dos benefícios energéticos que os cristais têm para lhe oferecer e à energia da sua casa.

  • Difusor aromático, velas aromatizadas, incensos – para ter um ambiente ligeiramente perfumado e fresco pode ter um destes recursos no seu hall de entrada. O importante é que goste e que se sinta bem com os aromas.


O fundamental é ter o espaço livre e desimpedido para que os habitantes e visitantes possam circular à vontade e a energia também o possa fazer. Quanto mais livre estiver o ambiente de qualquer divisão, melhor será a qualidade da energia lá existente, pois não estará estagnada, pesada ou densa… e isto não é exceção para o hall de entrada.


Lembre-se que o hall de entrada estabelece o “tom” em que a energia irá existir no resto da sua casa, por isso, procure ter um hall de entrada harmonioso e com um fluxo energético de qualidade.


Viva a sua casa desde o momento em que entra nela, sinta-se confortável e integrado na energia existente.



Margarida Estevam

Magnified Healing, Terapia Multidimensional, Mestre de Reiki, Leitura Intuitiva de Tarot dos Anjos, Mesa Radiónica, Astrologia do Ki das 9 Estrelas (Feng Shui)

Email: alquimiadoserterapia@gmail.com

alquimiadoserterapia.weebly.pt

  • YouTube