• Artigos

TERAPIA SACRO-CRANIANA

Por Catarina Vasconcelos

A Terapia Sacro-Craniana (TSC) foi desenvolvida pelo médico e osteopata Dr. John Upledger, no seguimento de estudos já efectuados pelo osteopata William Sutherland. A investigação e os estudos de ambos comprovaram a existência de um sistema sacro-craniano, bem como a sua importância e interferência na saúde do ser humano.


O sistema sacro-craniano é um sistema fisiológico constituído pelo líquido cefalorraquidiano (que se encontra no espaço entre o crânio e o cérebro e que envolve também a medula espinal, tendo como principal função amortecer o cérebro e a medula) e pelas membranas cranianas.


Desta forma, este sistema faz uma espécie de ligação, através do tubo dural, entre o crânio e o sacro. Tal como acontece com os outros sistemas, nomeadamente com o sistema cardiovascular e respiratório, também o sistema sacro-craniano tem um ritmo passível de ser avaliado e mensurado.


Como qualquer outro sistema, o sistema sacro-craniano está exposto a uma série de agressões externas, tensões anormais, efeitos secundários provocados por doenças primárias, o que compromete o seu correcto funcionamento, provocando alterações em várias partes do corpo.


É aqui que entra a terapia sacro-craniana, que tem como objectivo primordial equilibrar o sistema sacro-craniano e devolver-lhe o seu ritmo, simetria e qualidade normais.


A terapia sacro-craniana, além de trabalhar ao nível do ritmo sacro-craniano, trabalha também ao nível dos ossos cranianos, meninges e sacro, facilitando a libertação das suturas cranianas e das meninges e desbloqueando tensões acumuladas nas vértebras e nas articulações do sacro.


Através de um toque suave, não superior a cinco gramas, aplicado em zonas específicas, o terapeuta facilita a libertação e o desbloqueio de tensões e restrições que possam existir no sistema sacro-craniano. Desta forma, é restabelecido o equilíbrio, prevenindo efeitos nefastos que podem afectar o sistema nervoso central, bem como o organismo num todo.


Nos dias que correm, a TSC tem sido cada vez mais procurada, quer como forma de prevenir determinadas complicações, quer como forma de tratamento, individual ou complementar, de determinadas doenças ou condições, tais como:


- Enxaquecas, tonturas, zumbidos

- Sinusite e rinite

- Problemas musculares e articulares

- Fibromialgia

- Artrite reumatóide

- Fadiga crónica

- Dor crónica

- Disfunção temporo-mandibular

- Edemas, varizes, pernas cansadas e inquietas

- Disfunção do sistema imunitário

- Disfunção do sistema hormonal

- Paralisias

- Escoliose

- Cólicas

- Ansiedade

- Depressão

- Stress pós-traumático

- Insónias

- Dislexia

- Hiperactividade

- Défice de atenção

- Autismo

- Preparação para o nascimento

- Recuperação pós-parto


Como podemos constatar, são várias as desordens que podem beneficiar com um tratamento de sacro-craniana.


De referir, ainda, que a terapia sacro-craniana é aconselhada não só a pessoas em idade adulta, mas também a crianças (inclusive bebés de poucos meses e mesmo recém-nascidos) e idosos. Um outro grupo que beneficia imenso desta terapia são as grávidas, pois a TSC ajuda na preparação para o nascimento do bebé, através do desbloqueio de tensões acumuladas no sacro e na coluna vertebral, o que facilitará o momento do parto.


A TSC também permite a libertação somato-emocional, isto é, a libertação de tensões e bloqueios, provocados por situações traumáticas no passado, que ficaram alojados no corpo físico, comprometendo o bem-estar geral da pessoa.


Desta forma, concluímos relembrando que a Terapia Sacro-Craniana pressupõe uma visão holística do paciente, possibilitando a sua cura e equilíbrio como um todo. É, cada vez mais, uma terapia de primeira escolha devido aos resultados extremamente positivos e duradouros que proporciona.


Catarina Vasconcelos

Terapeuta Sacro-Craniana

  • YouTube