• Artigos

VIVER: UMA SABOROSA INGESTÃO DE GRATIDÃO E AMOR

Por Patricia Tolezano

A morte é inexorável. Ela vai-nos bater à porta. Independente de nossa alma livre e infinita, o nosso corpo físico é finito e tem os seus dias contados quando chegamos à terra. Não há nada que possamos fazer quanto a isto.


Nascer e morrer são apenas trechos dramáticos e imutáveis do jogo. Entretanto, podemos fazer o que quisermos entre o início e o desfecho. A melhor parte está no caminho. Viver é o verdadeiro milagre, a grande felicidade. Portanto, honre o seu milagre e justifique a sua vida.


O imutável, deixe estar. Mas, no que dá para cuidar, vamos lá! Façamos o melhor que pudermos não porque Deus, a força do Universo ou alguém nos cobrará por isso. Mas, apenas porque é uma forma de honrarmos a nós mesmos.


Não temos obrigação de ser feliz. Este sentimento não nos obriga a nada. A felicidade é uma dádiva herdada no nascimento, tão natural quanto inspirar e expirar. A Felicidade é verbo, é ação. A nossa grande missão é não a deixar perder-se pelo caminho do substantivo abstrato que o ego, por medo, lhe impõe.


Neste caminhar, procure não se culpar de nada e por nada. Também não faça isto contra ou “a favor” de ninguém. Somos um estoque infinito de possibilidades e todas elas se dão através de escolhas. Somos o reflexo de muitos fragmentos e cada pedacinho reflete um pouco do que somos.


Cada pessoa escolhe o seu próprio caminho.


Basta parar para pensar e verá que até o ponto atual, fez escolhas e renúncias na mesma proporção. Quem escolhe a cor da parede da sua casa é você. Não reclame dela. Use a sua força e energia para repintá-la. E não se esqueça de agradecer tudo o que viveu e cada pessoa que passou pela sua vida. Portanto, escolha ser feliz e o resto, o universo dá.


Por mais difícil que isto lhe pareça, o melhor caminho para a felicidade é o entendimento que “tá tudo certo!”. Esta expressão, comumente usada no Brasil, parece-nos leve num primeiro momento, mas requer uma nova dieta diante da vida: uma saborosa ingestão de gratidão e amor.


Vamos plantar, semear e colher gratidão e amor. O mundo precisa destes sentimentos tanto quanto de água. Nós precisamos deste sentimento tanto quanto do ar que respiramos intuitivamente. Ame sem condições ou restrições. Agradeça sem bajulação. Viva para fazer, falar e pedir o bem. A você e aos outros. Paz e bem, sem olhar a quem.


Quando os nossos pensamentos e ações amorosas forem tão naturais quanto o nosso inspirar e expirar, estaremos a fazer o nosso melhor e nos perceberemos felizes.


O ar que respiramos desde o dia em que nascemos ao dia em que morremos é o combustível do nosso corpo, assim como o amor e a gratidão é o combustível da alma. E esta sim, permanece acesa quando tudo o mais se apaga.


Não receie parecer ridículo. Dizer e vibrar eu te amo faz bem às cordas vocais. E daí, se a pessoa não é o amigo perfeito, o par ideal, o chefe dos sonhos? Existe isso? Ame sem fantasias, sem amarras e agradeça e aceite cada momento da sua vida, como sendo únicos e especiais. As dificuldades podem surgir. Não se vitimize diante delas. Eu nunca passei por elas sem ajuda. Nenhum de nós precisa passar.


As pessoas falam de você? Coitada delas que usam um tempo precioso para o que não lhes pertence nem serve. Alguém lhe foi injusto? Será mesmo? Será que você não julgou erroneamente uma atitude? Interpretação é um erro humano, na base da tentativa, erro/acerto. Não julgue, não se julgue, não puna, não se puna. Se jogue!


Viva e deixe viver e agradeça a tudo e a todos. E ame a todos com força. Independente de onde esteja em sua caminhada, faça o seu melhor e o melhor chegará a você.




Patricia Tolezano

Jornalista, escritora, poeta, terapeuta de

Reiki e leitora de aura

patriciatolezano@gmail.com

https://www.facebook.com/patriciatolezano.com.br/

  • YouTube